No Agreste, a unidade é pioneira no atendimento interno de pacientes renais

 

Em 13 de julho, o Hospital Mestre Vitalino (HMV), localizado em Caruaru, completa um ano de implantação do serviço pioneiro de nefrologia em unidade pública no Agreste. Desde o início do seu funcionamento o HMV oferece Terapia Renal Substituída (hemodiálise), mas antes era realizado por empresa terceirizada e tinha um alto custo para a unidade. Em 2017, com a implantação do serviço próprio, a unidade passou a dispor de um quadro de nefrologistas e uma equipe de enfermagem especializada que atendem todos os pacientes das clínicas médicas e UTI’s.

Durante o primeiro ano foram realizadas 2.665 sessões de hemodiálise, uma média de 242/mês, o que representa um benefício para mais de 200 pacientes. Além disso, neste período foram ofertadas 720 consultas pós-transplante, cerca de 1500 pareceres, biópsias renais de rim nativo e a regulação de pacientes para clínicas de hemodiálise, o que assegura a manutenção do tratamento mesmo após a alta médica. Com a implantação da nefrologia, o HMV adquiriu autossuficiência para a prestação de atendimento para os pacientes de todo o Agreste.

Joselito de Souza fez hemodiálise por 10 anos, após receber um transplante passou 13 anos sem precisar realizar o procedimento, durante uma avaliação em junho foi constatada a insuficiência renal, o que fez ele novamente precisar do procedimento que está sendo ofertado no HMV durante sua internação. “Passei bastante tempo sem realizar a hemodiálise por conta do transplante, mas agora precisei voltar para a máquina e tenho recebido um ótimo atendimento aqui no Mestre”, contou.

Para celebrar o primeiro ano, a equipe de Nefrologia realizará uma ação educativa na próxima sexta, 13. Durante todo o dia, pacientes e acompanhantes receberão orientações sobre os fatores de risco e os cuidados que devem ser tomados para se ter uma boa saúde dos rins. “O HMV deu um grande passo com a implantação deste serviço de forma interna, o que permitiu uma prestação de assistência nefrológica mais completa e eficiente com bons resultados clínicos, além de economia significativa de recursos da SES/SUS-PE. Hoje dispomos de uma equipe completamente especializada e apta para fornecer o melhor atendimento a estes pacientes renais”, explica o Dr. Rodrigo Oliveira, coordenador da nefrologia do HMV.

 

TRANSPLANTE - 

Indicado para pacientes com doença renal crônica avançada, o transplante de rim vem apresentando número elevados durante 2018 e é o primeiro órgão na fila de espera do pelo procedimento. Geralmente os pacientes transplantados têm uma melhor sobrevida ao longo dos anos. A hemodiálise é considerada também como um tratamento para a doença renal crônica e geralmente volta a ser realizada entre 5 e 15 anos após o transplante.

 

CUIDADOS COM OS RINS –

Os rins são o filtro do nosso corpo, e alguns hábitos e fatores colocam eles em risco, como pressão alta, diabetes, histórico familiar de doença renal crônica, tabagismo e sobrepeso. Há oito regras de ouro que te ajudam a cuidar melhor desse órgão: 1 – Praticar exercícios físicos, 2 – Ter uma alimentação saudável, 3 – Controlar o nível de açúcar no sangue, 4 – Monitorar e controlar a pressão arterial, 5 – Consultar o médico regularmente, 6 – Não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas, 7 – Consumir pouco sódio (sal) e 8 – Beber bastante água.

 

Inaugurado no dia 16 de junho de 2014, o Hospital Mestre Vitalino (HMV), localizado em Caruaru, chega aos quatro anos de funcionamento com um balanço expressivo e satisfatório de serviços prestados à população. Para se ter uma ideia, o Centro Cirúrgico, aberto em 2016, já realizou 4.461 cirurgias, dessas 180 foram cardíacas (serviço iniciado em junho de 2017) e 1.168 foram de urgência (serviço iniciado em outubro de 2017). 


Os números não param por aí, em julho do ano passado o HMV passou a ofertar hemodiálise com equipamento próprio, e em menos de um ano realizou 2665 sessões. A UTI coronariana (inaugurada em maio/2017), admitiu 400 pacientes e o serviço de ambulatório soma cerca de 75.000 atendimentos de diversas especialidades.

Outro destaque da unidade é a Organização de Procura de Órgãos (OPO), que está em funcionamento desde agosto de 2016. Em 2017 a equipe fechou o ano com 47 protocolos realizados e 13 doações múltiplas de órgãos (22 rins, 13 fígados, 2 corações, 60 córneas). Até maio deste ano já foram realizados 19 protocolos com quatro doações de múltiplos órgãos (8 rins, 4 fígados, 1 coração e 22 córneas).

Em dezembro de 2015, diante do surto da Síndrome Congênita doZika/Microcefalia, o HMV virou referência no diagnóstico para os bebês com suspeita da doença, desde então 781 crianças foram atendidas, resultando em um total de 72 casos confirmados. Todos esses serviços são avaliados pela Ouvidoria que registrou até então 98% de satisfação do usuário e apenas 2% de insatisfação – ruim, péssimo ou regular. Ao todo foram registradas cerca de 150 queixas em 4 anos e todas foram solucionadas dentro do prazo preconizado. 


“Os números dão uma ideia da importância da unidade para a 4ae 5ª macrorregiões de saúde do Estado. Estamos felizes com os resultados alcançados mesmo em meio a situação que o nosso país vem enfrentando nos últimos anos. É bom perceber que estamos fazendo a diferença e levando uma assistência de qualidade para as pessoas dessa região”, pontuou Dr. Marcelo Cavalcanti, diretor geral do HMV.



COMEMORAÇÃO 

Para festejar os bons resultados e comemorar no estilo típico da Capital do Forró, o HMV realizou na tarde de ontem (20), um arraiá para os funcionários da unidade. A Comissão de Eventos cuidou de cada detalhe, tudo para que o espaço ficasse com aquele ar junino. Bandeirinhas, pipoca, algodão doce, brincadeiras, um lanche com comidas típicas e muito forró preencheram a área de convivência do Hospital. A animação ficou por conta da banda do 4Batalhão de Polícia Militar e da jovem Genilza do Acordeon que juntos ajudaram a puxar até uma quadrilha improvisada.

 

Para atender a determinação do Ministério da Saúde e da ANVISA, que preconizam a implantação de um Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) nas unidades de Saúde, aconteceu ontem (07) no Hospital Mestre Vitalino (HMV) um encontro entre as unidades que compõem a Organização Social do Tricentenário (HTri) para troca de informações sobre a implantação.

 

Atualmente o HMV conta com o Núcleo formado e totalmente em funcionamento. O encontro teve o intuito de compartilhar e alinhar as ações e condutas que estão sendo realizadas nas unidades. Durante a manhã foi realizada uma palestra sobre as Metas Internacionais de Segurança do Paciente, que visam diminuir e evitar os acidentes e garantir uma melhor assistência.

 

A tarde foi realizada uma oficina para cadastramento das unidades no Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária – NOITVISA, que é utilizado para o registro de incidentes, eventos adversos (EA) e queixas técnicas (QT) relacionadas ao uso  de produtos e de serviços sob vigilância sanitária, como por exemplo: evento adverso durante procedimento cirúrgico; queda do paciente; úlcera por pressão (feridas na pele provocadas pelo tempo prolongado sentado ou deitado); troca de medicamentos no momento da administração; entre outros.

“Desde dezembro de 2015 que o HMV passou a contar com o NSP, quetem como trabalho implementar ações voltadas à segurança do paciente. Durante esse período estamos trabalhando na formação e conscientizando das equipes com diversas atividades voltadas para as Metas de Segurança do Paciente, através de gincanas, atividades lúdicas, entre outras ações. Esse momento foi uma oportunidade de promover essa troca de experiências entre os hospitais e UPA’s integrados ao Htri”, explicou Renilde Melo, coordenadora de Enfermagem do HMV.

 

Ao todo oito unidades participaram do encontro que foi realizado no auditório do HMV, localizado na avenida Amazonas, Rod. BR-104, 175, bairro Luiz Gonzaga.

 

Sensível a necessidade de sangue nos hemocentros e em alusão ao Dia Mundial do Doador de Sangue celebrando em 14 de junho, na última semana o setor de biomedicina do Hospital Mestre Vitalino (HMV) lançou a campanha interna de doação. O objetivo foi mobilizar colaboradores, acompanhantes e visitantes que passam pela unidade. 

 

“Tendo em vista a nossa demanda crescente que gira em torno de 614 hemocomponentes solicitados por mês, faz -se necessário fomentar ainda mais a importância da doação de sangue entre colaboradores, acompanhantes e visitantes. Aproveitamos para agradecer a parceria do Hemope, além do Serviço Social e direção do HMV por sempre abraçarem a causa”, ressaltou Waleska Lima, coordenadora da equipe de biomédicos.

 

 

Que em junho Caruaru respira o clima junino isso todo mundo já sabe, mas em meio ao barulho do triângulo, da zabumba e da sanfona facilmente esquecemos daqueles que não estão com saúde suficiente para aproveitarem as festividades no convívio de suas famílias. É pensando nessas pessoas que a Comissão de Humanização do Hospital Mestre Vitalino promove todos os anos um Arraial dos Pacientes. Neste ano, a festividade aconteceu ontem (07).

 

Com o auxílio dos parceiros e funcionários da unidade, o arraial vai ganhando vida no hall do 1andar do HMV. Bandeirinhas, chita, peneiras, chapéus de palha compõem a decoração do ambiente trazendo alegria para um espaço onde geralmente as pessoas ficam um pouco desanimadas. Dá gosto de ver a surpresa no rosto de cada um que vai adentrando o espaço e se deixando contagiar pela animação e alegria típicas deste período.

 

E claro, toda essa festa é regada a um bom cardápio de comidas juninas elaboradas pela equipe de nutrição e pela cozinha do Hospital, com cuidado para que todos se sintam contemplados, a equipe se preocupa com os pacientes diabéticos e também prepara algum quitute para eles. Na edição deste ano a animação ficou por conta da banda do 4oBatalhão de Polícia Militar, que botou todo mundo para dançar um bom forró.

 

“Nós pensamos com carinho nesse momento para vocês, realizamos logo no começo do mês porque estamos trabalhado de maneira integrada para isso e desejamos nos nossos corações que em breve cada um esteja com a saúde recuperada e possa também aproveitar junto das suas famílias”, contou Marcelo Cavalcanti, diretor geral do HMV. A tarde seguiu com muita música, animação e até mesmo uma quadrilha que não deixou ninguém ficar parado. 

Localização

© 2017-2018 Hospital Mestre Vitalino. Todos os direitos reservados