A partir dessa terça (13), o Hospital Mestre Vitalino passa a ofertar os serviços de hemodinâmica de forma regulada. O objetivo é reduzir a fila de espera pelos procedimentos cardiológicos e evitar o encaminhamento do interior para a capital, o que diminui o risco de morte dos pacientes.

O espaço conta com 21 leitos, equipamentos de última geração, e tem como foco o atendimento das patologias de infarto e taquiarritmia. O Centro de Hemodinâmica funciona durante seis horas por dia, das 08h às 14h, de segunda a sexta-feira. Entre os tipos de atendimento estão o teste ergométrico, hemodinâmico e ecocardiografia.

“Estamos trabalhando para auxiliar nesse processo de interiorização dos atendimentos. As pessoas que necessitam de atendimento são reguladas pela Secretaria de Saúde e encaminhadas para a nossa unidade”, explica o coordenador do Serviço de Cardiologia, Dr. Carlos Duarte. A expectativa é atender até 70 internamentos por mês. Com essa inauguração, o HMV passa a ser o único hospital do SUS no interior a ofertar atendimento cardiológico.

 

Para evitar que acompanhantes e familiares de pacientes internados no Hospital Mestre Vitalino sejam vítimas de estelionatários, foi dada início a campanha de caráter educativo "100% SUS". O objetivo é alertar as pessoas sobre os golpes onde, por meio de ligações telefônicas, são solicitados depósitos de valores para pagamento de algum procedimento ou medicação. Para fortalecer a campanha, funcionários da equipe de humanização estão abordando os acompanhantes em todas as enfermarias do HMV, para tirar dúvidas e esclarecer informações sobre o Hospital, por meio de um panfleto com instruções.

Além disto, o Hospital têm reforçado o sigilo das informações sobre os pacientes e seus prontuários para evitar que esses dados vazem e cheguem às mãos de criminosos. “Temos nos empenhado para deixar a população bem avisada de que nosso Hospital tem todo o funcionamento mantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Muitas vezes, devido a fragilidade emocional dos familiares, estes criminosos acabam alcançando êxito nos golpes”, explicou o diretor do HMV, Dr. Marcelo Cavalcanti.

A orientação é que mesmo diante da emoção do momento, haja a preocupação em entrar em contato com o HMV para checar as informações e descartar a hipótese de qualquer doação, pagamento ou contribuição. A direção do Hospital fica à disposição para ajudar os familiares na prevenção dos golpes.

 

 

Durante esta semana, Dr. Carlos Duarte, coordenador da Cardiologia do Hospital Mestre Vitalino; e Renilde Melo, coordenadora de enfermagem; estiveram presentes no 2º módulo do Curso de Desenvolvimento Gerencial Integrado da Linha de Atenção às Urgências no Ambiente Intra-hospitalar, realizado pelo Hospital do Coração (HCor) de São Paulo em parceria com o PROADI-SUS do Ministério da Saúde.

O projeto pretende qualificar os gestores para melhorar a atuação no planejamento e programação das ações. A estratégia é capacitar a gestão para repensar o planejamento da urgência e o plano gerencial do serviço. Por meio desse planejamento das ações, será possível qualificar a assistência prestada aos pacientes agudos, melhorando o tempo de atendimento e a resposta da equipe.

Na terça (11), os representantes do HMV apresentaram aos demais participantes o planejamento do Hospital com a rede regionalizada. O curso será realizado até o mês de julho, no auditório do Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE), localizado no bairro do Pina. Ao todo são 11 módulos, com intervalo de 3 semanas, em encontros mensais, com o intuito de repensar o planejamento dos serviços de urgências das unidades de saúde do Estado.

 

Em setembro de 2016, o Hospital Mestre Vitalino deu início a implantação de uma equipe de Organização de Procura de Órgãos (OPO) com o objetivo deaumentar o número de transplantes, e consequentemente, reduzir a fila de espera. Nesta semana, a equipe recebeu a primeira doação, proveniente de uma jovem de 26 anos, vítima de traumatismo provocado por projétil de arma de fogo (PAF).

Após a autorização da doação por parte da família, a Central de Transplantes encaminhou uma equipe para captar os órgãos. Neste procedimento houve doação de rins e córneas. Após a doação o corpo foi encaminhado ao IML, e a equipe deu seguimento ao acolhimento familiar até a liberação e conclusão do processo.

De acordo com Ana Karla, integrante da OPO do HMV, a equipe é de fundamental importância na busca por doadores. “O nosso trabalho é tentar minimizar o tempo de espera dos transplantes, identificando os diagnósticos de morte encefálica nos hospitais da região, para oferecer as famílias a possibilidade de doação”, explicou.

 

Sobre a OPO

A OPO é responsável pela articulação com as equipes encarregadas da verificação de morte encefálica, assegurando que o procedimento será feito de forma ágil, eficiente e dentro dos parâmetros éticos.

Na última quarta-feira (04), o Hospital Mestre Vitalino realizou um mutirão de atendimento especializado para crianças diagnosticadas com microcefalia. Na oportunidade foram atendidas 85 crianças das gerências regionais de saúde Pernambuco. Destes atendimentos, 83 passaram por avaliação de ortopedistas e 66 por gastroenterologistas pediátricos. Além disso, 60 crianças foram atendidas pela nutricionista.

Para Renilde Melo, coordenadora de enfermagem do HMV, essas iniciativas facilitam o acompanhamento e desenvolvimento das crianças, uma vez que diminui a distância e tempo de espera. “O mutirão vem facilitar a vida dessas mães disponibilizando em um só lugar o atendimento de mais de uma especialidade. O nosso objetivo é realizar um acompanhamento pleno dessas crianças, para que elas cresçam com qualidade de vida”, explicou.

Na oportunidade, também foram realizados cinco exames de tomografia e 91 raios X. A ação foi uma parceria da ONG União de Mães de Anjos (UMA), Secretaria de Saúde do Estado e Hospital Mestre Vitalino, que é referência no atendimento de casos de microcefalia no Estado.

 

Localização

© 2017-2020 Hospital Mestre Vitalino. Todos os direitos reservados